Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial é lembrado em Oeiras

26 de abril é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. Para lembrar a importância da data e falar mais sobre o assunto, o Mais Oeiras conversou com a nutricionista Jardeline Damascena, coordenadora do Programa de Hipertensão Arterial e Diabetes (HiperDia), da Secretaria Municipal de Saúde.

Estima-se que existam mais de 30 milhões de hipertensos no Brasil, sendo que, segundo o Ministério da Saúde, apenas 10% desta população faz o controle adequado da doença. “A hipertensão arterial, usualmente chamada de pressão alta, é uma doença de fisiopatogenia multifatorial, e não-controle pode causar lesões nos chamados órgãos-alvo: coração, cérebro, vasos sanguíneos, rins e retina. A hipertensão é basicamente assintomática. Os sintomas comumente relatados são: cefaleia (dor de cabeça), tontura, palpitações e desconforto precordial”, explica Jardeline Damascena.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão, a doença mata 300 mil brasileiros anualmente, 820 mortes por dia, 30 por hora ou uma a cada 2 minutos. A nutricionista informa que os fatores de risco para desenvolvimento da patologia estão geralmente associados ao tabagismo, consumo de álcool, hábitos alimentares, obesidade, sedentarismo e condições psicossociais. “O tratamento compreende dois tipos de abordagem – a farmacológica, o uso de medicação, e a não farmacológica, que se fundamenta basicamente em mudanças de estilo de vida”, esclarece.

A coordenadora do HiperDia destaca que o município de Oeiras desenvolve, através do programa, cuidados voltados para hipertensos e diabéticos. “O programa consiste no fornecimento de medicações, avaliação multiprofissional e atividades educativas que contribuam para melhorar a qualidade de vida desses usuários”, afirma a nutricionista.

Jardeline Damascena informa, ainda, que o HiperDia acontece em todas as equipes do Programa Saúde da Família (PSF) e nas unidades básicas de saúde do município. “É muito importante procurar a unidade básica de saúde para avaliação e tratamento da hipertensão arterial”, conclui a coordenadora do Programa de Hipertensão Arterial e Diabetes.

Share via

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *