Procissões da Semana Santa de Oeiras estão canceladas, anuncia Diocese

A Diocese de Oeiras anunciou nesta quarta-feira, 25, o cancelamento da romaria de Bom Jesus dos Passos e das procissões da Semana Santa na cidade, previstos para acontecer entre 02 e 12 de abril. A medida é para evitar a propagação do novo coronavírus (Covid-19). Maior evento religioso do Estado do Piauí, a Semana Santa de Oeiras reúne, tradicionalmente, milhares de fiéis em diversos rituais religiosos.

Em decreto, assinado pelo bispo Dom Edilson Nobre, a Diocese informa que estão cancelados todos os atos paralitúrgicos realizados da sexta-feira do Bom Jesus dos Passos até o Domingo da Ressurreição – Procissão da Fugida, Procissão do Bom Jesus dos Passos, Procissão dos Ramos, Procissão do Fogaréu, Descimento da Cruz, Procissão do Senhor Morto; Procissão do Cristo Ressuscitado.

Celebrações eucarísticas e orações reservadas para o dia do Bom Jesus dos Passos serão realizadas sem a presença da população e transmitidas através dos meios de comunicação. A nota recomenda ainda que as famílias responsáveis pelos Passos mantenham as capelas abertas e arrumadas, como fazem anualmente.

 Confira o decreto na íntegra:

DECRETO

Aos que virem Nosso Decreto saudações, graça, paz e bênçãos no Senhor!

Fazemos saber que,

Considerando o grave perigo de contaminação do COVID-19 (Corona Vírus) em se tratando de aglomeração de pessoas;

Considerando os documentos oficiais acerca das medidas públicas preventivas contra a pandemia do Covid-19 e colaborando com as autoridades públicas governamentais e entidades civis;

Considerando o Decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos em tempo da Covid-19;

Considerando que a Diocese de Oeiras, em comunhão com a Igreja em todo o mundo, está comprometida com a defesa da vida e com o bem-estar de cada pessoa, determina-se:

  1. As medidas tomadas no decreto anterior na data de 16 de março do corrente ano se estendam por tempo indeterminado, até mandarmos o contrário, e revoga-se o que for contrário a este;
  2. Os fiéis estão dispensados da obrigação prevista no cânon 1247 do Código de Direito Canônico de participar das Missas Dominicais e demais dias de preceitos. Os fiéis podem se unir em oração nas respectivas habitações e acompanhar as celebrações através dos meios de comunicação;
  3. A Secretaria da Cúria Diocesana e das Paróquias atendam ao público apenas por telefone ou por redes sociais;
  4. As atividades alusivas aos Ano Jubilar dos 75 anos da Diocese estão suspensas. O sentimento de ação de graças permanecerá em nossos corações e em nossas orações. No tempo oportuno, haveremos de realizar coletivamente a nossa Ação de Graças;

Bom Jesus dos Passos e Semana Santa

  1. Os atos paralitúrgicos que são realizados da sexta-feira do Bom Jesus dos Passos até o Domingo da Ressurreição estão todos cancelados, a saber: Procissão da Fugida, Procissão do Bom Jesus dos Passos, Procissão dos Ramos, Procissão do Fogaréu, Descimento da Cruz, Procissão do Senhor Morto; Procissão do Cristo Ressuscitado;
  2. As Celebrações Eucarísticas e Orações reservadas para o dia do Bom Jesus dos Passos serão realizados sem a presença do povo, mas acompanhadas através dos meios de comunicação para que a comunidade não deixe de vivenciar a mística deste dia. Recomendo ainda às famílias responsáveis pelos Passos que neste dia os mantenham abertos e arrumados, como fazem anualmente;
  3. O Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor seja celebrado na Catedral, na Matriz de cada Paróquia e sede de municípios, sem o povo, seguindo a segunda forma do Missal Romano (pag 229). As famílias, com os ramos em suas casas podem acompanhar e rezar através dos veículos de comunicação;
  4. A Coleta Nacional da Solidariedade (Campanha da Fraternidade) seja adiada para uma data posterior, a ser definida pelo bispo;
  5. A Missa do Crisma (Santos Óleos) acontecerá na Catedral na segunda-feira, às 10 horas da manhã, com a presença dos sacerdotes apenas e obedecendo todas as orientações de prevenção do contágio do covid-19. Os fiéis vão poder acompanhar pelos meios de comunicação.
  6. A celebração do Tríduo Pascal, Coração do ano litúrgico, não pode ser transferida de data. Porém, estes atos serão celebrados sem a presença física dos fiéis, que estarão participando pelos veículos de comunicação. Celebra-se apenas na Catedral, na Igreja Matriz de cada Paróquia ou na Igreja sede de cada município.
  7. Na Quinta-Feira Santa, uma vez que a Celebração da Ceia será sem a participação do povo, o lava-pés seja omitido. No término da Missa da Ceia do Senhor, omite-se também a procissão e a adoração comunitária, e o Santíssimo Sacramento seja conservado no Sacrário. Para substituir a Procissão do Fogaréu, cada família acenderá a sua lanterna e a colocará em frente à sua casa, às 20 horas;
  8. Na Sexta-Feira Santa celebra-se a Paixão do Senhor, omitindo-se o beijo da cruz. Na Oração Universal será acrescentada uma prece especial pelos vitimados da pandemia covid-19;
  9. Na Vigília Pascal, omite-se o ascender do fogo, acende-se o Círio Pascal, omite-se a procissão com o Círio e segue-se o precônio Pascal (Exsultate). Segue-se a Liturgia da Palavra. Para a “Liturgia batismal”, apenas se renovam as promessas batismais. Segue-se a “Liturgia eucarística”;
  10. A Missa da Páscoa do Senhor não deixará de acontecer, mas também com as mesmas orientações em relação à participação dos fiéis. Sintonizem nos rádios ou nas redes sociais;
  11. As imagens e os símbolos litúrgicos não sejam tocados pelos fiéis, ao serem expostos durante a Semana Santa e por todo esse período de risco de pandemia de corona vírus;
  12. Os atos de fé como expressão de gratidão a Deus ou de reconhecimento por graças alcançadas (promessas, procissões e outros) e demais expressões da devoção popular que enriquecem os dias da Semana Santa e a vida de fé da comunidade poderão ser transferidos para outros dias convenientes fora do período de risco da pandemia de Covid-19;

Estas disposições têm vigência a partir da data de sua publicação e seguem-se por tempo indeterminado até que determinemos o contrário.

Que a Virgem Mãe da Vitória nos assista no empenho pela superação dessa situação de risco de pandemia e que todos nos mantenhamos comprometidos, vigilantes com a vida diante do apelo do evangelho “viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34).

Deus recompense a todos os que estão trabalhando para amenizar as dores dos que padecem e abençoe os que buscam a solução para essa grave situação.

Dado e passado em Nossa Cúria Diocesana, aos 25 dias do mês de março de 2020, Solenidade da Anunciação do Senhor, sob o Nosso Sinal e Selo de Nossa Chancelaria.

+ Edilson Soares Nobre

Bispo de Oeiras

Pe. Kleyton Vieira

Chanceler da Cúria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *