Os sapatos e o caminho do oeirense Lourimar Vieira

Desde que saiu de Oeiras, há mais de quatro décadas, Lourimar Vieira jamais havia se apresentado em sua terra natal. O sonho, por fim, foi realizado na última quarta-feira, 25, quando, pela primeira vez, o ator oeirense radicado em São Paulo, subiu ao palco do Cine Teatro Oeiras.

Ator há mais de 35 anos, Lourimar Vieira se apresentou em Oeiras pela 1ª vez 

“36 anos que faço teatro e essa é a primeira vez neste palco. Eu pensei que eu ia morrer, que eu não ia aguentar! Meu coração tava apertado, eu tava com insuficiência respiratória, tava uma tensão tão grande aqui, porque eu amo a minha história, a minha raiz. Cara, tu não tem noção…foi uma emoção muito forte”, conta ofegante o ator.

“Os sapatos que deixei pelo caminho” – espetáculo apresentado no Cine Teatro, nos dias 25 e 26 deste mês – narra dores e delícias da vida de Poim, personagem central da trama, nascido no povoado Sabiá, zona rural do município de Oeiras.

Foto: Carlos Rubem

O abuso sexual na infância, a migração para o sudeste, o preconceito devido à origem nordestina e a afirmação de sua sexualidade são alguns pontos marcantes do espetáculo, onde diversos atores se revezam no papel do protagonista.

Autobiográfica, a peça traduz em texto, cinema, música, artes visuais, dança e teatro de bonecos, acontecimentos da vida do próprio Lourimar Vieira. “Isso aí é um por cento da minha história, eram tantas histórias…na verdade, sentei no computador e comecei a vomitar tudo que eu me lembrava, de memória. E fui colocando no papel. Um dia falei: vamo ler! Li, vi que tinha poesia, e contratei uma equipe para montar esse trabalho”, diz em conversa com o Mais Oeiras, no camarim do Cine, após a primeira noite de espetáculo.

Lourimar diz que a ideia da peça de cunho biográfico veio depois do sucesso de produções como “Dois Filhos de Francisco”, que conta história da dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano, e “Sonhos de um sonhador”, filme sobre a trajetória de vida do cantor Frank Aguiar. “Em São Paulo, os artistas tão criando o hábito de contar a própria história. Vários artistas contaram e também optei por contar. Isso aí é um por cento da minha história”, comenta.

Os sapatos que deixei…

Encenada pelo grupo paulista Teatro do Kaos, a peça estreou em 2014, após seis meses de ensaio e montagem. De lá para cá, coleciona participações em mais de dez importantes festivais de teatro, inclusive representando Brasil no 8º Ciclo de Teatro Brasileiro, ocorrido em Arcos de Valdevez, em Portugal.

Foto: Carlos Rubem

Em 2015, foi apresentada no FestLuso e, em dezembro passado, no 5º Festival Nacional de Teatro de Floriano. Neste domingo, a peça está em cartaz no Theatro 4 de Setembro, principal casa de espetáculos do Piauí.

Lourimar conta que ideia de trazer o espetáculo ao Piauí surgiu de uma conversa com o governador Wellington Dias, no aeroporto de Teresina. “Eu tava voltando de Floriano e encontrei com ele no aeroporto e ele me reconheceu, aí rolou a parceria para trazer a peça, rolou homenagem…”, revela o ator. “Quero voltar mais vezes, quero fincar raízes aqui”, finaliza Lourimar.

Atualmente residindo em Cubatão-SP, Lourimar Vieira está entre as homenageadas, em Oeiras, na última segunda-feira, 23, com a Ordem do Mérito do Renascença, mais alta comenda do Estado.

Teatro do Kaos

Criado por Lourimar Vieira, em 1997, o Teatro Kaos já encenou grandes textos – ‘A Aurora da Minha Vida’, ‘O Sonho de Uma Noite de Verão’, ‘A Falecida’, dentre outros. Há 15 anos vem promove a encenação “Caminhos da Independência”, que já contou com a participação de atores renomados como Alexandre Borges, Nuno Leal Maia, Raymundo de Souza, Juan Alba, Alexandre Barillari, Marco Antônio Gimenez, Carlos Casagrande, Júlio Rocha, Monique Alfradique, Gustavo Leão, Gabriel Nunes e outros.

 

 

 

 

 

 

Jadson Osório

Repórter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *