Ex-aluno da escolinha do Osmarildo, em Oeiras, disputa a Copa São Paulo de Futebol Júnior

Da escolinha de futebol do Osmarildo, de Oeiras, para o primeiro jogo na Copa São Paulo de Futebol Júnior. E diante do Flamengo, com transmissão pela TV, todo mundo vendo, vitrine única. Com 19 anos, Juninho já assinou contrato profissional com o River-PI, adversário do Rubro-Negro, nesta quinta, pelo Grupo 15 da competição de base. A dedicação do jovem impressionou a presidência do time piauiense. O atacante trabalhava com o pai em uma oficina de bicicletas. Ia para o treino de bike. Ou, quando o transporte quebrava, colocava o tênis e corria até o local da atividade. Tamanha entrega pelo futebol despertou o interesse do Galo. E Juninho ganhou oportunidade para estar no time sub-20 do River-PI na Copinha.

E a Copa São Paulo, por incrível que pareça, quase foi o motivo para o jovem atacante do Piauí abandonar o futebol quando tinha 16 anos. Em 2016, Juninho estava no time do Cori-Sabbá classificado para a competição. A bagagem junto com a emoção e ansiedade para viajar estava pronta, mas o atacante acabou frustrado. O Cori fez uma parceria com um empresário que tirou Juninho da lista de relacionados. A tristeza e a desilusão bateram.

– Fomos vice do Campeonato Piauiense e ganhamos a vaga para ir à Copinha. O time não tinha condições de bancar os jogadores em São Paulo, aí decidiram fazer uma parceria com um empresário de lá. Nessa parceria, deixava 10 vagas para ele colocar os jogadores dele. Ficou apenas 15 vagas para gente, o Cori. Quando saiu a lista, fiquei de fora porque era muito novo. O time levou os jogadores nascidos em 1997, fiquei fora – relatou o atacante.

Coube ao futsal tirar da cabeça do garoto a ideia de deixar a bola.

– Foi aí que pensei em desistir do futebol e pensei em parar. Fui para o futsal, onde teve uma competição nacional para ir a João Pessoa. O time que foi para a Copinha em 2016 viajou na sexta, e consegui viajar para a competição do futsal. Lá vi que não poderia desistir e, graças a Deus, cheguei onde estou, com um contrato profissional e agora sim na Copinha – narrou.

Realmente, desistir não é para o Antônio Barbosa de Carvalho Júnior. Antes de entrar no River-PI, ele, Juninho, trabalhava com o pai consertando bicicletas. Com o senhor Antônio e a família, aprendeu a vencer. Nada viria fácil. Mesmo com o emprego e jogando bola, conseguiu terminar o ensino médio e iniciou o curso superior em Educação Física.

– Sempre tive dificuldade para jogar. Trabalhava com o meu pai em uma oficina de bicicleta. Saía, às vezes, sem almoçar e ia para o treino. Quando ia treinar, tinha dia que dava problema na bicicleta, ela quebrava no caminho, e ia a pé, caminhando. Botava o tênis e ia correndo. A vontade de chegar a um time profissional nunca me deixou desistir – revelou Juninho.

O River-PI encarou 2.500Km para chegar a Jaguariúna, São Paulo, sede do Grupo 15 na competição. Foram quase 50h dentro do ônibus. A virada do ano foi comemorada na estrada, em um posto de gasolina na cidade de Catalão, Goiás.

– Na luta. Larguei os estudos, a faculdade, para vir em busca dos meus sonhos em Teresina. Apesar de estar longe da família, a saudade bate. Aprendi, fui ensinado, que nós devemos passar dificuldade para chegar onde desejamos. Eles são minha força, tenho muita dedicação. O amor é o mesmo, apesar de não nos falarmos muito. Eles têm orgulho de mim.

Fonte: Globo Esporte

Share via

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *